Serviços prestados pela Embasa em Barreiras são debatidos em Tribuna Popular da Câmara

A Tribuna Popular desta quarta-feira, 03, foi ocupada pelo gerente regional da Embasa, Francisco Araújo Andrade, que a convite dos vereadores compareceu para falar sobre os serviços prestados pela empresa de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário, já que são constantes as solicitações de moradores pedindo explicações quanto ao atendimento disponibilizado à população, que por vezes reclama da falta de água, esgoto a céu aberto em várias ruas, cobrança da taxa de esgoto, conclusão da obra de esgotamento sanitário.

O gerente Francisco Araújo Andrade, fez uma exposição dos trabalhos que vem sendo realizados para potencializar o atendimento, uma vez que a empresa está presente em 366 municípios baianos. Na região Oeste, tem concessão em 20 municípios, operando 18 sistemas de abastecimento de água e 05 de esgotamento sanitário.

Durante a apresentação, a Embasa apresentou os principais investimentos em obras para ampliação dos sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário no município. Na exposição foi mostrado o atual funcionamento do sistema de esgotamento sanitário, cuja cobertura avançou de 8% para 60% na sede, após investimentos de R$ 113 milhões para a construção de uma estação de tratamento de esgoto, mais cinco estações elevatórias e ampliação da rede coletora para 30 novos birros. Em 2016, foram investidos R$ 4,3 milhões para disponibilizar o serviço de esgoto para 3,6 mil novos imóveis. Já para este ano, a previsão é de mais de R$ 4,1 milhões para continuar com as obras de adensamento, explicou o gerente.

Sobre o sistema de água, o gerente disse que foram feitos investimentos de R$ 4,5 milhões para a duplicação dos módulos da estação de tratamento, o que aumenta em 50% a capacidade de vazão da água distribuída na cidade.

Foi uma Tribuna Popular bem participativa, onde os vereadores fizeram vários questionamentos, principalmente, os referentes ao valor de 80% cobrados pela taxa de esgoto, considerada alta.
O gerente Francisco Araújo Andrade, também foi perguntado sobre o que a Embasa tem feito para coibir o problema da água que não é canalizada para os esgotos, quais providências estão sendo tomadas para acabar com o esgoto a céu aberto e outras perguntas foram quanto ao faturamento da empresa e o repasse feito para a prefeitura de Barreiras, e o custo operacional dos serviços. Os vereadores também questionaram as ações da empresa para preservação dos rios.

  • Compartilhe: