Câmara de Barreiras aprova projetos que reconhecem o ISFAC como Utilidade Pública e o Nazaro como patrimônio cultural imaterial

O presidente do Instituto São Francisco de Arte e Cultura, Mário Sérgio de Araújo, ocupou a Tribuna Popular da Câmara de Vereadores, nesta quarta-feira, 13, para falar das ações que o ISFAC vem realizando ao longo dos anos em benefício da cultura de Barreiras, onde o grupo formado por pessoas de diversos segmentos promove continuamente atividades que possibilitam o crescimento das manifestações artístico-culturais.

Por conta dos relevantes serviços prestados, o ISFAC usou a Tribuna, principalmente, para solicitar da Câmara de Vereadores o título de Utilidade Pública, importante para o desenvolvimento de projetos e programas que abranjam e beneficiem mais pessoas. O Instituto pensa, por exemplo, em realizar oficinas de chorinho nos bairros da cidade, ações que podem ser realizadas em parceria com o poder público. Durante a Tribuna Popular, o presidente Mário Sérgio de Araújo, também pediu aos vereadores que reconhecessem o Nazaro como patrimônio cultural imaterial de Barreiras.

Valorizando a cultural local, a Câmara, prontamente, concedeu o título de Utilidade Pública para o ISFAC. A presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Graça Melo, e o relator, João Felipe, dispensaram a emissão dos pareceres ao projeto. Decisão também tomada por outras comissões, e apoiada pelos demais vereadores e deferida pelo presidente Gilson Rodrigues. O mesmo aconteceu para o projeto que torna o Nazaro patrimônio cultural imaterial.

“O ISFAC tem contribuído muito para a cultura local. Barreiras é feliz por ter um grupo com tanta dedicação e a Câmara de Vereadores reconhece o papel de cada um neste processo, por isso, jamais deixaríamos de conceder o título de Utilidade Pública para o Instituto. Quanto ao Nazaro, também não poderíamos deixar de reconhecer o valor e a importância desta tradição para os barreirenses”, disse o presidente Gilson Rodrigues.

  • Compartilhe: